TRANBORDAMENTOS

As imagens que compõem esta série são oriundas de uma série de xilogravuras, cujas imagens foram captadas por meio de fotografias realizadas durante minhas viagens por áreas de preservação ambiental, como a estação ecológica do Taim e da Lagoa do Peixe, da região sul do Brasil. Nestes lugares são possíveis encontrarmos diversas espécies de aves silvestres migratórias, oriundas de diferentes regiões e países, além de répteis e mamíferos.

Para a exposição La taille d’épargne : métamorphose du vide, Celle de Saint Cloud, são retomadas algumas xilogravuras que foram trabalhadas a partir do meu encantamento com esta região, onde, podemos dizer que, o ciclo da vida explode. Com o gesto de gravar, tento evidenciar uma certa permanência de um momento efêmero, o pouso de uma ave de rapina e de emas pastando nas vegetações rasteiras ou mesmo, nas imensas revoadas de pássaros.  E, na medida em que surgiam sutis e delicadas incisões sobre a superfície da madeira, reflito sobre a necessidade de termos um profundo respeito para com a vida e com a natureza que nos cerca.

Nesta instalação, as imagens evocam densidades e levezas entre presenças e ausências da linguagem da gravura contemporânea por meio de procedimentos tradicionais de impressão. Evidencia, simultaneamente, uma beleza poética de uma natureza em constante transbordamento que resiste e se renova diante das adversidades exploradas pelo ser humano.

Lurdi Blauth